fbpx

O ‘Eterno Bom Jovem’ está de volta

O novo álbum “Forever” de Bon Jovi, lançado em 2024, é um marco que mistura nostalgia e modernidade, evidenciando a capacidade da banda de permanecer relevante em um cenário musical em constante evolução. Este álbum é particularmente significativo, dado os desafios enfrentados pelo vocalista Jon Bon Jovi, que passou por uma recuperação vocal complexa. “Forever” marca o retorno da banda às suas raízes, com uma combinação de rock robusto e baladas que capturam a essência de sua carreira de décadas.

Foto: Universal Music / Divulgação

O álbum abre com “Waves”, uma faixa vibrante que imediatamente remete aos anos de ouro da banda, trazendo um refrão poderoso e uma energia contagiante. Esta música destaca a produção sofisticada e a atenção aos detalhes que caracterizam todo o álbum. Cada faixa é meticulosamente trabalhada para criar um som grandioso e cativante, com letras que exploram temas universais de amor, perda e resiliência.

Outras músicas, como “Living Proof” e “Kiss The Bride”, seguem uma linha familiar para os fãs, oferecendo uma mistura de guitarras marcantes e melodias cativantes. “Living Proof” se destaca com sua estrutura sólida e riffs de guitarra envolventes, enquanto “Kiss The Bride” se apresenta como uma balada emocional que revela a profundidade lírica de Jon Bon Jovi.

A recepção crítica de “Forever” tem sido mista. O Louder Sound elogia a produção polida e a habilidade da banda de criar faixas que são ao mesmo tempo contemporâneas e evocativas de seu trabalho anterior​. Eles destacam a clareza e a força das músicas, que soam tão frescas quanto os sucessos que marcaram a carreira da banda nas décadas passadas.

No entanto, o Daily Illini oferece uma perspectiva mais crítica, argumentando que o álbum falha em trazer uma renovação verdadeira ao som de Bon Jovi. Eles apontam que, enquanto as músicas são competentes e bem executadas, falta a elas a inovação que poderia redefinir o legado da banda nesta nova era​.

Comparado a álbuns icônicos como “Slippery When Wet” e “New Jersey”, “Forever” parece menos ousado em termos de experimentação musical, mas ainda assim mantém uma qualidade consistente que é característica da banda. É evidente que Bon Jovi optou por uma abordagem que privilegia a segurança e a familiaridade, em vez de arriscar com novas direções sonoras. Isso pode ser visto como uma tentativa de preservar a essência que conquistou milhões de fãs ao redor do mundo, ao mesmo tempo em que tenta se conectar com um público mais jovem.

Liricamente, “Forever” explora temas de resiliência, amor e a passagem do tempo. As letras refletem uma maturidade adquirida ao longo de décadas de carreira, abordando as complexidades da vida com uma honestidade e franqueza que ressoam profundamente com os ouvintes. A faixa “After All”, por exemplo, é uma meditação sobre a perseverança e a importância de seguir em frente, independentemente das adversidades.

“Forever” pode não ser um divisor de águas na carreira de Bon Jovi, mas é certamente um testemunho de sua durabilidade e paixão contínua pela música. O álbum celebra a longa trajetória da banda e reafirma sua posição como uma das principais forças do rock. Para os fãs de longa data, é um retorno bem-vindo a um som que tem sido parte da trilha sonora de suas vidas. Para novos ouvintes, é uma introdução sólida a uma banda que continua a deixar sua marca na história do rock.

Em resumo, “Forever” é um álbum que, apesar de não trazer grandes inovações, reafirma a capacidade de Bon Jovi de criar músicas que são, simultaneamente, pessoais e universais. É uma obra que toca tanto o coração quanto a mente e certamente será um marco na discografia da banda, uma das mais queridas do rock.

Ao ouvir o álbum, senti uma profunda conexão com minha adolescência. As faixas “Kiss the Bride” e “The People’s House” trouxeram à tona lembranças felizes dessa época, reacendendo memórias que guardo com carinho. Com sua combinação de nostalgia e novas emoções, o álbum me levou a revisitar sentimentos e experiências passadas de forma intensa e significativa, reforçando minha apreciação pela música de Bon Jovi. Essa jornada emocional proporcionada pelo álbum reafirmou o valor e a importância da banda na minha vida musical.

Ouça o novo disco do Bon Jovi: Forever

Autor

  • Julio Mauro

    Júlio César Mauro é aquele típico nerd e pai de duas meninas, que tem seu jeito único – um pouco rabugento e com TDA. Não deu certo na música, mas encontrou seu caminho na TI, onde está há uns 26 anos. O cara é conhecido por não ter papas na língua e por um senso de humor bem afiado, que nem todo mundo entende. Já rolou até uma fase de co-apresentador no programa Gazeta Games na Rádio Gazeta de São Paulo, mostrando seu lado gamer. E, claro, a música? Continua sendo uma das suas grandes paixões.

    View all posts

Uma resposta para “O ‘Eterno Bom Jovem’ está de volta”

  1. Avatar de Marcelo
    Marcelo

    Melhor trabalho em anos, pra meu gosto o último tinha sido Lost Highway. Curti muito o álbum, talvez por eu não alimentar uma expectativa tão alta…
    Destaques para Lívia Proof, Waves e My First Guitar…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *