fbpx

Pussy Riot protesta pela morte de Alexei Navalny em frente a embaixada russa em Berlim

O Pussy Riot protestou pela morte de Alexei Navalny em frente a embaixada russa em Berlim no domingo (18 de fevereiro), acusando Vladimir Putin e o governo russo de serem “assassinos”.

O grupo ativista organizou o protesto do lado de fora da embaixada após a morte do líder da oposição russa na sexta-feira (16 de fevereiro).

Detalhes em torno de sua morte ainda são escassos, embora as autoridades da prisão onde ele estava detido tenham dito que ele sofreu de “síndrome da morte súbita”, de acordo com a BBC. O canal estatal RT sugeriu, por meio de uma fonte desconhecida, que ele morreu de um coágulo sanguíneo.

O Pussy Riot exibiu grandes cartazes com a inscrição “Assassinos” durante a manifestação. “Viemos com uma palavra simples – ‘ASSASSINOS’. Ele não apenas morreu. Ele foi assassinado”, disse Nadya Tolokonnikova, criadora do Pussy Riot, em comunicado nas redes sociais durante o fim de semana.

“O que precisamos saber sobre Putin é que ele é muito mais frágil do que parece. Ele tem medo de seus opositores.”

Em outra postagem compartilhada no X/Twitter, o Pussy Riot escreveu: “Navalny não apenas morreu na prisão no Ártico, foi um assassinato frio. Justo antes das eleições presidenciais na Rússia.

“Putin é pessoalmente responsável pela morte do meu amigo. Navalny é a luz, a esperança e o coração mais corajoso da Rússia.”

A polícia na Rússia reprimiu os protestos após a morte de Navalny, com um grupo de direitos humanos alegando que pelo menos 100 pessoas foram presas, de acordo com a Sky News.

O Pussy Riot afirmou que as autoridades alemãs exigiram que o grupo retirasse suas máscaras e os ameaçaram com prisão.

Navalny foi preso e encarcerado sob acusações de corrupção em 2021, amplamente relatadas como fabricadas e emitidas na tentativa de silenciar suas críticas a Putin.

No último fim de semana, Bono prestou homenagem a Navalny durante um show de residência em Las Vegas com o U2.

“Aparentemente, Putin nunca, jamais diria seu nome”, disse Bono à multidão. “Então, pensei que hoje à noite, as pessoas livres, daqui, pessoas que acreditam na liberdade – devemos dizer seu nome. Não apenas lembrar, mas dizer.” O vocalista então liderou a multidão em um coro de “Alexei Navalny”.

Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media


Assine nossa newsletter!

Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.


Últimas notícias

Publicidade