fbpx

Sesc Sorocaba recebe mostra gratuita em homenagem ao cinema analógico de 2 a 30 de abril

O SESC Sorocaba recebe de 2 a 30 de abril a mostra “Nostalgia Cinematográfica – Uma Experiência em 16mm“, uma celebração do cinema analógico. Serão seis sessões ao longo do mês. A iniciativa única e totalmente gratuita oferece aos espectadores uma oportunidade rara de vivenciar a magia do cinema de película.

Nas terças-feiras de abril (02, 09, 16, 23 e 30) e no domingo (07) os visitantes do SESC Sorocaba terão a chance de experimentar uma forma autêntica de assistir filmes. Durante as sessões, o suave e contínuo som do projetor analógico, localizado ao fundo do ambiente do teatro, será ouvido. Este som característico é resultado da rápida troca de quadros do filme, a uma taxa de 24 quadros por segundo, criando a ilusão de movimento que define o cinema.

“Décadas atrás, esse formato de exibição era amplamente utilizado nas salas de cinema, mas agora está praticamente extinto”, afirma Gilcemar Borges, técnico de programação cultural do SESC. “Para aqueles que desejam reviver um pouco dessa era nostálgica, basta comparecer ao SESC e retirar seu ingresso gratuitamente com 1 hora de antecedência”, completa.

Esta será uma experiência singular para os habitantes de Sorocaba que desejam apreciar a autenticidade visual dos filmes em película. Atualmente, as salas de cinema em todo o mundo são predominantemente digitais, seguindo um paradigma tecnológico diferente do utilizado desde os primórdios do cinema, no final do século 19 até a primeira década do século 20, caracterizado pelo uso de películas cinematográficas.

O curador da mostra e historiador, Alex Zen, destaca que “o processo de digitalização do cinema, embora relativamente recente do ponto de vista histórico, enfrentou desafios para desenvolver uma tecnologia que oferecesse qualidade de imagem digital comparável à película, a um custo acessível para a indústria do entretenimento”.

Portanto, a película de cinema não é um formato “inferior” aos vídeos digitais, mas sim uma tecnologia com características próprias, cuja identidade única pode ser apreciada na mostra “Nostalgia Cinematográfica”.

A curadoria da mostra procurou compor um panorama diversificado em termos de nacionalidades, gêneros e períodos temporais. Todas as cópias em 16mm, provenientes do acervo da produtora e distribuidora Cine 16, foram selecionadas com base em sua qualidade, com cores inteiramente preservadas nas cópias coloridas.

A mostra será inaugurada com a exibição do clássico atemporal de 1939, “O Morro dos Ventos Uivantes”, estrelado pelo aclamado Laurence Olivier, adaptado da obra de Emily Brontë. A programação inclui ainda uma seleção especial de curtas de animação raros da Disney, como “Pedro e o Lobo” e “O Aprendiz de Feiticeiro”, além de homenagens à comédia nacional com “O Camelô da Rua Larga” e raridades como “Mazurka” e “O Refúgio de Emma”, inéditos em plataformas domésticas no Brasil. O encerramento será marcado pela exibição do cult “A Mãe” do cineasta russo V. Pudovkin, acompanhado de música ao vivo pelo CINEPIANO TONY BERCHMANS.

Este evento é uma oportunidade imperdível para os amantes do cinema experimentarem uma forma única e nostálgica de apreciar filmes clássicos em película. Venha celebrar a história do cinema conosco no SESC!

BATE-PAPOS: PAOLO GREGORI E ISABEL WITTMANN

Cada sessão contará com uma apresentação prévia e, após as exibições, haverá bate-papos com o público, conduzidos pelo professor de cinema, crítico e cineasta Paolo Gregori e pela crítica e doutora em Antropologia Isabel Wittmann.

Paolo introduzirá o público nas sessões de “O Morro dos Ventos Uivantes” e “O Camelô da Rua Larga”, enquanto Isabel coordenará as reflexões pós-sessões de “Mazurka” e “O Refúgio de Emma”.

FILME 16MM

Em 2024, o formato de filme 16mm completa 101 anos. Lançado pela Kodak em janeiro de 1923 como uma alternativa mais acessível ao 35mm, o 16mm tornou-se revolucionário nas décadas seguintes devido à sua portabilidade e baixo custo, permitindo a exibição de filmes em espaços alternativos e democratizando o acesso aos equipamentos cinematográficos.

CINEPIANO TONY BERCHMANS

Tony Berchmans oferece uma experiência audiovisual única ao improvisar trilhas sonoras ao vivo para os filmes exibidos. Sua técnica representa uma nova forma de apreciar obras cinematográficas antigas.

SERVIÇO – MOSTRA “NOSTALGIA CINEMATOGRÁFICA – UMA EXPERIÊNCIA EM 16MM”
Data: 02 a 30 de abril de 2024
Local: Teatro do SESC Sorocaba/SP
Endereço: Rua Barão de Piratininga 555
Entrada franca – convites começam ser distribuídos com uma hora de antecedência
Contato: (15) 3332-9933

PROGRAMA COMPLETO

02/04 (terça-feira) às 19h | 12 anos
“O Morro dos Ventos Uivantes” (Wuthering Heights, EUA, 1939)
Direção de William Wyller, com Laurence Olivier, Merle Oberon, David Niven
Legendas em portuguès

Sinopse: Baseado no romance clássico de mesmo nome de Emily Brontë, a história segue a tumultuosa relação entre Heathcliff, um jovem órfão adotado por uma família rica, e Cathy, a filha de seu benfeitor. Ambientado na selvagem paisagem dos montes de Yorkshire, o filme retrata o amor apaixonado e destrutivo entre os protagonistas, bem como os efeitos devastadores do orgulho, da vingança e do destino. Com performances cativantes e uma atmosfera intensa, “Wuthering Heights” é uma emocionante adaptação cinematográfica de um dos romances mais amados da literatura inglesa.

07/04 (domingo) às 16h | Livre
“Pedro e o Lobo” (Peter and the Wolf, EUA,1948), O Patinho Feio, A Pequena Vendedora de Fósforos e outras fábulas e contos clássicos animados
Produção Estúdios Disney e Estúdios Columbia
Dublado

Sinopse: Obras de Hans Christian Ardersen, Esopo, Goethe e do folclore russo em clássicas animações realizadas pelos estúdios Disney e Estúdios Columbia nas décadas de 1930 e 1950. Realizadas na época de ouro das animações, as obras estimulam reflexões sobre a natureza humana e valores éticos que transcendem gerações, trabalhando temas como prudência, humildade, tolerância e respeito ao outro.

09/04 (terça-feira) às 19h | 12 anos
“O Camelô da Rua Larga” (Brasil, 1958)
Direção de Eurides Ramos, com Zé Trindade, Maria Vidal, Zezé Macedo, Nelson Gonçalves
Áudio original em português

Sinopse: A trama gira em torno de um camelô espertalhão que se envolve em uma série de confusões e situações cômicas enquanto tenta ganhar a vida vendendo seus produtos nas ruas movimentadas do Rio de Janeiro. Com muito humor, números musicais e uma pitada de crítica social, o filme é uma divertida comédia que retrata a vida urbana da década de 1950 e os personagens excêntricos que a habitam.

16/04 (terça-feira), 19h | 12 anos
“Mazurca” (Mazurka, Alemanha 1935)
Direção de Willi Forst, com Pola Negri, Ingeborg Theek

Sinopse: o filme narra a história de uma mulher que comete um assassinato e é levada a julgamento. Ambientado em um tribunal, o enredo acompanha os desdobramentos do julgamento, revelando em flashback segredos do passado da protagonista e explorando suas motivações por trás do crime. Com tensão crescente e reviravoltas emocionantes, “Mazurka” oferece uma exploração profunda da natureza humana, justiça e compaixão.

23/04 (terça-feira), 19h | 12 anos
“O Refúgio de Emma (Skyggen af Emma, Suécia, 1988)
Direção de Søren Kragh-Jacobsen, com Line Kruse, Börje Ahlstedt, Erik Wedersøe

Sinopse: Ambientado em 1932, este drama emocionante mergulha nas complexidades familiares e nas lutas internas de uma criança em busca de compreensão e afeto. Com uma narrativa cativante e performances poderosas, “O Refúgio de Emma” oferece uma reflexão profunda sobre os laços familiares e as profundezas do amor e da solidão. Este filme sueco de 1988 continua a tocar os corações dos espectadores com sua história atemporal e emotiva.

30 (terça-feira), 19h | 12 anos
Mãe (Mat, URSS, 1926)
Direção de Vsevolod Pudovkin, com Vera Baranovskaya, Nikolai Batalov
Trilha sonora executada ao vivo por CINEPIANO TONY BERCHMANS

Sinopse: obra-prima do cinema silencioso russo. Baseado no romance de Maxim Gorky, o filme segue a jornada emocional de uma mãe trabalhadora durante as revoltas de 1905. Confrontada com a brutalidade do regime czarista, testemunhamos sua transformação em uma figura poderosa da revolução. Com imagens intensas e uma narrativa emocionante, “A Mãe” ajudou a moldar a linguagem cinematográfica e a elevar o cinema a uma forma de arte respeitada e influente.

O pianista Tony Berchmans irá executar ao vivo sua própria trilha sonora para o filme, em perfeito sincronismo com a diferentes emoções ao longo da narrativa cinematográfica.

Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media


Assine nossa newsletter!

Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.


Últimas notícias

Publicidade