fbpx

A sensacional estreia do Rush

Lançado em 1º de março de 1974, o álbum de estreia do Rush deu início ao trio canadense em uma das carreiras de gravação mais duradouras e bem-sucedidas do rock. Seu disco de estreia completou 50 anos.

A banda foi formada em 1968, começando como um grupo chamado The Projection até que o irmão do baterista John Rutsey, Bill, disse: “Você precisa de um nome melhor para a banda – que tal Rush?” Em setembro de 1968, o Rush fez seu primeiro show no porão de uma igreja no subúrbio de Toronto, liderado pelos colegas de 15 anos Geddy Lee (Gary Lee Weinrib) no baixo e nos vocais principais e Alex Lifeson (Aleksander Zivojinovic) nas guitarras. Em 1971, o grupo assinou com Ray Daniels e recebeu um impulso fortuito quando Ontário reduziu a idade para beber para 18 anos, permitindo que a banda tocasse no circuito de casas noturnas de Toronto. Aqui, seu estilo emergente de heavy-blues e rock foi bem recebido e a banda logo fez shows seis noites por semana e começou a compor algumas músicas originais. Quando Daniels inicialmente não teve sucesso em conseguir que a banda assinasse com uma grande gravadora, ele criou a sua própria, chamada Moon Records .

A banda começou a gravar em Toronto durante sessões noturnas, quando as tarifas eram mais baratas. O primeiro esforço do Rush foi uma versão de Not Fade Away de Buddy Holly, que a banda lançou como single em 1973 junto com a composição original You Can’t Fight It no lado B. Essas sessões iniciais foram produzidas por Dave Stock, mas o grupo não ficou satisfeito com a qualidade do som e decidiu produzir o resto do álbum por conta própria no Sound Studios em Toronto, usando gravadores multicanais (bastante primitivos) de 8 canais.

Foi uma época bem louca para os músicos. Como Lee lembrou: “Faríamos quatro sets por noite, e então terminaríamos por volta da 1h da manhã e sairíamos do bar e iríamos para o estúdio de gravação e gravaríamos a noite toda, e então iríamos para casa dormir por algumas horas antes carregando de volta no bar para fazer outro show. Para frente e para trás – foi assim que gravamos nosso primeiro álbum.”

Importante a gente comentar que o primeiro álbum da banda também não tem nenhuma das coisas sofisticadas pelas quais a banda se tornaria famosa: músicas de 20 minutos, letras cheias de referências, o flerte com o progressivo e, mais tarde, com os sintetizadores.

Rutsey (que deixou a banda após a conclusão do álbum, para ser substituído pelo baterista e compositor de longa data Neil Peart) era o principal letrista da banda na época, mas continuou dizendo a Lee e Lifeson que não estava satisfeito com o que havia escrito e eventualmente rasgou as músicas que havia escrito para o álbum de estreia do Rush. Eles só tinham dinheiro suficiente para alguns dias de estúdio e decidiram que medidas desesperadas eram necessárias. “Tive que sentar e escrever as letras basicamente pelos próximos dois dias e cantá-las assim que uma delas fosse escrita”, disse Lee. O clima de incerteza se reflete na abertura do álbum Finding My Way.

Parte do que resgatou a situação foi o estreito vínculo pessoal e musical entre Lee e Lifeson. Ambos tinham 20 anos e eram amigos desde que eram adolescentes na escola secundária. Eles também compartilhavam o vínculo de ambos vindos de famílias que emigraram para o Canadá (os pais de Lifeson nasceram na Sérvia e os pais de Lee sobreviveram a Auschwitz).

Rush foi lançado em março de 1974 e vendeu algumas milhares de cópias no Canadá. Mas o que a banda precisava era de uma abertura no mercado norte-americano. Isso aconteceu quando uma estação de rádio em Cleveland começou a tocar uma das faixas mais poderosas do álbum, Working Man . A música Working Man, com seu excelente solo de guitarra, é talvez a música chave do álbum de estreia do Rush. Foi influenciada pelo Cream e tem um toque de blues, e continuou a ser uma faixa de encerramento nos shows do Rush por muitos anos depois. Esta foi a canção que meio que ressoou entre os operários da fábrica de Cleveland. Alguns até confundiram a música com um novo disco do Led Zeppelin . E é nesse momento que o Rush foi descoberto, por assim dizer. E esse DJ da rádio de Cleveland foi o cara que ajudou a despertar a atenção do Rush não só para o público americano, mas também para a Mercury Records.

Apesar de toda a sua importância, Working Man não é a única ótima música do Rush. Finding My Way, como eu já citei anteriormente é outra música que parece ter se inspirado no Led Zeppelin, e In The Mood com o seu crowl bell incrível. Mas depois deste álbum – e da substituição do baterista John Rutsey por Neil Peart – o Rush alcancaria voos mais altos a partir do segundo disco (conseguiu pescar a referência?).

Crédito: Divulgação

Nessa época ai eles ainda estavam tentando encontrar o seu som, então ser comparados com essa ou aquela banda é natural, a maioria de todas bandas passam por isso. Quer um exemplo recente? Greta Van Fleet. Em uma entrevista ao Classic Rock, Geddy Lee disse o seguinte:

Eu posso ouvir Led Zeppelin lá, e um pouco de Humble Pie . Eu gostaria de poder ouvir mais do que apenas essas influências, mas não posso. John Rutsey era um baterista do tipo Simon Kirke – apenas segure a batida de fundo e vamos agitar. Foi assim que as músicas surgiram.”

Aliás sobre John Rutsey, Geddy Lee afirmou que ele era uma pessoa difícil, no sentido de que ele tinha dificuldade em lidar consigo mesmo. Ele não era um cara feliz e tinha demônios contra os quais lutava. Havia muito conflito e segredo na banda quando John estava nela.

Por mais que quisesse, eles não conseguial realmente lê-lo e ele não se importava em compartilhar muito com os outros dois integrantes. E quando Alex e Lee começaram a levar a música em uma nova direção, ele meio que viu que não conseguiria acompanhar então disse ‘Não posso apoiar isso‘ Esse foi o fim.

Foram citados problemas de saúde – Rutsey era diabético – e o estresse da turnê estava afetando-o; na verdade, um pode ter exacerbado o outro. Depois de deixar a banda ele se tornou um fisiculturista competitivo, e os outros eventualmente perderam contato com ele. Ele morreu em 2008.

Outros destaques do disco ainda incluíram a veloz Need Some Love, de dois minutos, que apresentou o canto enérgico de Lee. Lee, que foi inspirado por Robert Plant e Steve Marriott de Small Faces , cantava desde seus dias como soprano em um coro de igreja de Toronto. Lee e Lifeson co-escreveram todas as oito músicas do álbum de estreia do Rush, além de In The Mood, que Lee escreveu em 1971. Here Again de sete minutos é a música mais longa do disco de 40 minutos. Um disco de fácil audição, que quando você piscou pum, acabou e já quer ouvir de novo.

Rush ganhou alguma publicidade da Billboard , cuja crítica, publicada em agosto de 1974, elogiou o trio por “servir uma dose de bom hard rock destacada pelos vocais de Geddy Lee, muitas vezes semelhantes a Robert Plant, e pelo poderoso trabalho de guitarra de Alex Lifeson e bateria sólida de John Rutsey. Bom material aqui para reprodução em rádios AM ou FM.”

Lee descreveu o álbum de estreia do Rush como sendo “improvisado”, mas resiste ao teste do tempo e mostra por que a banda – que começou a gravar seu sucessor, Fly By Night , com Peart em vez de Rutsey, seis meses depois do lançamento. lançamento do Rush – estavam a caminho do estrelato.

Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media


Assine nossa newsletter!

Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.


Últimas notícias

Publicidade