fbpx

David Gilmour, os 40 anos do álbum “About Face”

Quando se há incertezas sobre o futuro de uma banda, em meio á conflitos internos quase que intermináveis, são capazes de gerar ótimos discos. Há 40 anos, em 5 de março de 1984, David Gilmour lançava About Face, seu segundo e muito bom álbum em carreira solo, e subestimado pelo próprio cantor e guitarrista (ele evita de tocar as faixas deste disco em seus shows).

Gravado no Pathé Marconi Studio, em Boulogne-Billancourt, França, em 1983, numa época em que o futuro do Pink Floyd era incerto. Brigas constantes entre o guitarrista e o baixista Roger Waters, foram o acender do fósforo para a criação do álbum. About Face, portanto, deu seguimento a carreira solo, o homônimo David Gilmour (1978), concebido seis anos antes sob mesmas situações conflitantes.

Com sonoridade muito variada e influenciada pela new wave e pelo soft rock, About Face foi co-produzido por Bob Ezrin junto a Gilmour. As letras de duas faixas, All Lovers Are Deranged e Love On The Air, foram escritas por Pete Townshend, do The Who. Participam do disco também os músicos Roy Harper, Michael Kamen e Jon Lord (Deep Purple), entre outros

O álbum inicia com Until We Sleep, uma faixa que cativa imediatamente os ouvintes com sua fusão de rock e elementos mais suaves. Gilmour demonstra sua habilidade notável na guitarra, tecendo melodias que envolvem os ouvintes em uma viagem auditiva envolvente.

Gilmour soube se aventurar ao pop com qualidade a “Phil Collinsiana” Blue Light, virou single do disco e fez um relativo sucesso em época áurea dos sintetizadores e os drummachines. Era o padrão da música neste período, estética sonora que predominava o mainstream, e, o guitarrista incorporou elementos do som daquele momento em seu disco, época boa que fazia música pop de forma excelente, sem ser comercialmente e exagegaradamente apelativo.

All Lovers are Deranged é a primeira das contribuições líricas de Pete Townshend, devo dizer que é uma de minhas favoritas do álbum, tem um refrão de forte conexão e uma levada rock tradicional bastante agradável.

You Know I’m Right é mais um Pop Rock bem característico da época, bem influenciado das bandas pop com influências dos artistas setentistas misturado ao estilo meio jazzístico da época, ao ouvir irá se dá conta de que é uma música vinda diretamente dos anos 80, dá pra fazer até aquelas vídeo-montagens da época que encaixa. Os solos, claro, são assinatura própria de Gilmour, inconfundíveis, portanto.

O destaque de About Face é indiscutivelmente a balada Murder, uma composição que mergulha nas complexidades instrumentais. Enquanto a fusão de guitarras intensas e letras poéticas revela a profundidade emocional que Gilmour busca alcançar em sua obra solo.

Out of the Blue, uma canção que destaca a versatilidade de Gilmour como compositor. A variedade de influências musicais incorporadas nesta faixa a torna um testemunho da habilidade do artista em transcender barreiras e criar algo verdadeiramente único.

O álbum também apresenta momentos mais suaves, como a doce canção pop country Cruise, uma balada tocante que destaca a destreza de Gilmour em evocar emoções através de sua voz e instrumentação sutil. Esta peça proporciona um contraste agradável com as faixas mais vigorosas do álbum, demonstrando a amplitude de talento do artista.

Love On the Air, outra de Pete Townshend, é uma balada de rock bem característica daquelas dos anos 70, feitas por gente como Allman Brothers e outros grupos da época, bastante agradável e contando com a bela e emotiva letra de Townshend.

Não seria completo o álbum sem a poderosa Let’s Get Metaphysical, uma faixa que incorpora elementos de rock progressivo e destaca as habilidades instrumentais excepcionais de Gilmour. A interplay entre as guitarras e teclados cria uma atmosfera hipnótica que levam os nossos ouvidos musicais numa viagem sônica única, e, também, uma cutucuada na conturbada relação com o Roger Waters.

O álbum conclui com Near the End, uma peça reflexiva e um tanto Floydiana que amarra os temas abordados ao longo do disco. A letra melancólica e a instrumentação delicada oferecem um encerramento emotivo, deixando uma impressão duradoura na mente dos ouvintes.

About Face foi lançado pelo selo da Harvest no Reino Unido e pela Columbia nos Estados Unidos em março de 1984. Recebeu críticas positivas e alcançou o #21 no UK Albums Chart e o #32 na Billboard 200, dos Estados Unidos. Dois singles foram lançados: Blue Light chegou ao #62 nos Estados Unidos, enquanto Love On The Air falhou nas paradas. David Gilmour só lançaria um sucessor para o álbum 22 anos mais tarde, com On An Island, de 2006.

É um álbum subestimado pelo próprio cantor, ele pouco toca as faixas do disco, talvez por não ter conseguido um maior êxito comercial esperado. Mas About Face é mais do que um simples álbum solo de um dos ícones do rock, é uma exploração musical rica e emocional. David Gilmour, com sua destreza técnica e sensibilidade artística, transcende as expectativas, entregando um trabalho que continua a ser apreciado por gerações. Este álbum não apenas complementa a discografia solo de Gilmour, mas também destaca sua habilidade de conectar-se profundamente com seus ouvintes, deixando uma marca indelével na história da música.

Créditos: Arquivos

Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *