fbpx

Uma breve história do metalcore + 5 discos para entender o gênero que combina hardcore e metal

O metalcore é um gênero musical que surgiu da fusão entre o hardcore punk e o metal extremo, especialmente o thrash metal e o death metal. O termo metalcore é uma abreviação de metallic hardcore, que foi usado originalmente para descrever bandas de hardcore que incorporavam elementos de metal em sua música. O metalcore se caracteriza pelo uso de vocais gritados ou guturais, riffs pesados e rápidos de guitarra, bateria dupla e blast beats e breakdowns, essa última são passagens lentas e intensas que propiciam o mosh, uma forma de dança agressiva típica do público do gênero.

As origens do metalcore são do final dos anos 1980 e início dos anos 1990, quando bandas de hardcore punk começaram a experimentar e se influenciar pelo metal, buscando um som mais pesado e ainda mais agressivo que o hardcore. Algumas das bandas pioneiras do metalcore foram Cro-Mags, Agnostic Front, Suicidal Tendencies, Rorschach, Integrity e Earth Crisis. Essas bandas misturavam o ritmo acelerado e a atitude contestadora do hardcore com os riffs e solos de guitarra do metal, criando um estilo que ficou conhecido como crossover thrash ou metallic hardcore.

No final dos anos 1990 e início dos anos 2000, o metalcore ganhou mais popularidade e diversidade, com o surgimento de bandas que incorporavam outros subgêneros do metal, como o death metal melódico, o metal progressivo e o nu metal. Uma das vertentes mais bem-sucedidas do metalcore foi o metalcore melódico, que misturarva os vocais berrados e os breakdowns do metalcore acrescidos de melodias e os refrãos do death metal melódico, influenciado principalmente pelas bandas suecas In Flames, At the Gates e Dark Tranquillity. Algumas das bandas mais representativas do metalcore melódico foram Killswitch Engage, Shadows Fall, As I Lay Dying, All That Remains, Trivium e Bullet for My Valentine.

Outra vertente importante do metalcore foi o mathcore, que se caracterizava pelo uso de ritmos complexos e irregulares, dissonâncias, mudanças de tempo e experimentações sonoras, influenciado pelo metal progressivo, o jazz e o noise. Algumas das bandas mais influentes do mathcore foram Converge, Botch, The Dillinger Escape Plan, Norma Jean e The Chariot.

Nos anos 2000 e 2010, o metalcore continuou a se expandir e a se renovar, com o surgimento de novas bandas e novas fusões com outros gêneros, como o electronicore, que misturava o estilo com elementos de música eletrônica, o deathcore, que misturava o metalcore com elementos de death metal brutal, o metalcore progressivo, que misturava o metalcore com elementos de metal progressivo e djent, e o nu metalcore, que misturava o metalcore com elementos de nu metal e rap metal. Algumas das bandas mais populares dessas novas tendências foram Asking Alexandria, Attack Attack!, Bring Me the Horizon, Suicide Silence, Whitechapel, Born of Osiris, Periphery, Veil of Maya e Issues.

Atualmente, o metalcore é um dos gêneros mais populares e diversificados do cenário do rock pesado, contando com uma legião de fãs e bandas ao redor do mundo. vale ressaltar que o gênero se mantém em constante evolução e inovação, buscando novas formas de se expressar e de combinar os elementos do hardcore e o metal. Essa fluência de estilo é o que garante o crescimento da base de fãs do gênero, assim como afasta os mais puritanos.

Mas a verdade é que o metalcore vem crescendo a cada dia e está longe de estagnar tanto musicalmente quanto ao número de apreciadores das bandas que tocam esse gênero.

5 álbuns essenciais para entender o metalcore

Earth Crisis – Firestorm (1993)

Considerado por muitos como o primeiro disco de metalcore da história, este EP da banda americana Earth Crisis definiu o som do gênero, mesclando riffs pesados e metálicos com breakdowns brutais e letras politizadas. O disco foi um marco para o cenário hardcore e inspirou muitas bandas posteriores, como Hatebreed, Snapcase e Poison The Well.

Converge – Jane Doe (2001)

Um dos discos mais aclamados e influentes do metalcore, Jane Doe é uma obra-prima da banda americana Converge, responsável por levar o gênero aos seus limites, explorando diversas sonoridades, dinâmicas e emoções. O disco é uma viagem sonora de 45 minutos, que vai desde a fúria descontrolada de Concubine até a melancolia arrasadora da faixa-título, passando por momentos de caos, beleza e experimentação. Jane Doe é um disco que transcende o metalcore e se torna uma referência para o metal em geral.

Killswitch Engage – The End Of Heartache (2004)

O disco que catapultou o metalcore melódico para o mainstream, The End Of Heartache é o terceiro álbum da banda americana Killswitch Engage, e o primeiro com o vocalista Howard Jones. O disco combina riffs melódicos e solos de guitarra com vocais alternados entre gritos e cantos limpos, criando um som acessível. O disco foi um sucesso comercial e crítico, rendendo uma indicação ao Grammy e vendendo mais de um milhão de cópias. O disco também abriu caminho para outras bandas do gênero, como As I Lay Dying, All That Remains e Bullet For My Valentine.

Parkway Drive – Horizons (2007)

Um dos expoentes do metalcore australiano, Parkway Drive é uma banda que se destaca pela sua energia, técnica e intensidade. O seu segundo álbum, Horizons, é considerado por muitos seu melhor trabalho, mostrando uma sonoridade mais madura e variada, sem perder a pegada e a brutalidade. O disco conta com faixas memoráveis, como Carrion, Boneyards e o épico encerramento com Horizons. O disco foi um sucesso na Austrália e na Europa, e consolidou o Parkway Drive como uma das maiores bandas do metalcore atual.

Architects – All Our Gods Have Abandoned Us (2016)

Um dos discos mais sombrios e poderosos do metalcore, All Our Gods Have Abandoned Us é o sétimo álbum da banda inglesa Architects, e o último com o vocalista Tom Searle, que veio a falecer de câncer pouco depois do lançamento. O disco é um manifesto contra a destruição do mundo e da humanidade, com letras que abordam temas como guerra, religião, política e morte. O som é pesado e complexo, com riffs intrincados, breakdowns devastadores e vocais rasgados. O disco é uma obra-prima do metalcore, e um tributo ao talento e à coragem de Tom Searle.

Ouça abaixo a playlist Álbuns Essenciais Disconecta Metalcore


FAQ sobre Metalcore

O que é Metalcore?

O Metalcore é um gênero musical que combina elementos do heavy metal com o hardcore punk. Ele é conhecido por suas guitarras pesadas, batidas rápidas e vocais gritados, misturando a agressividade do metal com a intensidade do hardcore.

Quais são as características distintivas do Metalcore?

As características distintivas do Metalcore incluem riffs de guitarra poderosos e complexos, bateria rápida e agressiva, vocais que alternam entre gritos guturais e melodias limpas, além de letras muitas vezes focadas em temas como emoções intensas, desafios pessoais e questões sociais.

Como o Metalcore difere de outros gêneros musicais?

O Metalcore difere de outros gêneros musicais, como o metal tradicional e o hardcore punk, por sua fusão de elementos. Enquanto o metal tradicional tende a ser mais focado em solos de guitarra e estruturas complexas, e o hardcore punk é conhecido por sua energia crua e letras politizadas, o Metalcore combina essas características para criar um som único e poderoso.

Quais são algumas das bandas mais populares de Metalcore?

Algumas das bandas mais populares de Metalcore incluem Killswitch Engage, As I Lay Dying, Bullet for My Valentine, Parkway Drive, August Burns Red e Trivium, entre muitas outras. Essas bandas são conhecidas por seu impacto no gênero e por influenciar uma geração de músicos de Metalcore.

O Metalcore é adequado para todos os ouvintes?

O Metalcore pode ser apreciado por uma ampla variedade de ouvintes, mas é especialmente popular entre os fãs de música pesada e alternativa. Se você gosta de guitarras pesadas, vocais intensos e letras emotivas, o Metalcore pode ser um gênero que você apreciará.

Quais são as letras típicas das músicas de Metalcore?

As letras das músicas de Metalcore frequentemente abordam temas como lutas pessoais, superação, angústia emocional, questões sociais e políticas, relacionamentos conturbados e autoexpressão. Elas são muitas vezes escritas de forma intensa e emocional para refletir a energia e a agressividade do gênero.

Como o Metalcore evoluiu ao longo do tempo?

O Metalcore evoluiu consideravelmente desde suas origens nos anos 1990. Inicialmente uma fusão de metal e hardcore, o gênero incorporou elementos de música melódica, progressiva e até eletrônica ao longo dos anos. Bandas de Metalcore modernas estão constantemente inovando e experimentando com novos sons e abordagens.

Quais são os elementos instrumentais comuns no Metalcore?

Elementos instrumentais comuns no Metalcore incluem riffs de guitarra complexos e pesados, uso de palm muting para criar um som mais “grooveado”, solos virtuosos, batidas de bateria rápidas e técnicas de duplo bumbo, baixo pulsante e, ocasionalmente, elementos eletrônicos como sintetizadores.

O Metalcore tem subgêneros?

Sim, o Metalcore tem vários subgêneros que surgiram ao longo dos anos à medida que o gênero evoluiu. Alguns exemplos incluem Metalcore melódico, Metalcore progressivo, Deathcore (uma fusão de Metalcore com elementos de death metal), entre outros.

Como posso começar a explorar o Metalcore se for novo neste gênero?

Se você é novo no Metalcore, uma ótima maneira de começar é ouvindo algumas das bandas mais populares do gênero, como Killswitch Engage, Parkway Drive, ou August Burns Red. Explore seus álbuns mais icônicos e também dê uma chance a playlists de Metalcore em plataformas de streaming para descobrir novas bandas e sons dentro do gênero.

Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *