fbpx

Yo La Tengo e o sucesso de I Can Hear The Heart Beating As One

https://www.youtube.com/watch?v=4Bq8qRLxu1A

Dizer que “Autumn Sweater” é a faixa mais conhecida de I Can Hear The Heart Beating As One, é chover no molhado.

Alías, Yo La Tengo é muito mais profundo que esse disco, Autumn Sweater é sim responsável por fazer a banda ser reconhecida internacionalmente, com uma melodia suave nos teclados, baixo, bateria, guitarras e claro dos vocais Ira Kaplan.

I Can Hear The Heart Beating As One completou 25 anos em 2022 e aparece na lista dos 500 discos mais influentes da história feita pela revista Rolling Stone em 2020.

Em termos de direcionamento sonoro a banda entra num trip bem diferente do que fez em seu álbum antecessor, o aclamado, Electr-O-Pura de 1995, em I Can Hear The Heart Beating As One a banda se permite explorar muito mais sonoridades e incorporando mais elementos como a bossa nova em “Center of Gravity” que tem uma letra incrivelmente fofa e ingênua, quase que um bilhetinho de namorados do ensino médio.

Mas outras facetas como a Krautrock “Spec Bebop”, uma faixa instrumental bem noise com ritmos de batera e baixo repetitivos hipnóticos, ritualística, um verdadeiro mantra noise. E a mistura não para por aí, ainda encontramos um jazz bobinho em “Moby Octopad”, muito gostosa de ouvir, iniciada e conduzida por um baixo marcante, novamente um clima hipnótico com guitarras que atravessa a música com seus ruídos e vocais intercalados entre Ira Kaplan e a baterista Georgia Hubley, vale ressaltar aqui uma quebra na música onde entra um piano muito jazzístico complementando a ambientação suave e áspera da música.

A variedade de estilos é tanta que ainda há espaço para experimentações de triphop como a que ouvimos em “Damage”, ela contém uma ambiência construídas com camadas de guitarras em feedback e microfonia e novamente a construção dos arranjos são fora do comum.

“Deeper Into Moovies” é um legítimo shoegaze com muitas camadas de guitarras, momento etéreos e vocais sobrepostos sempre coberto por guitarras ruidosa.

Deste álbum saiu mais dois singles, além de “Autum Sweater”, são elas: “Sugarcube” e a cover de Beach Boys, “Little Honda”, aquele quê surf da música de origem mais com muito fuzz nas guitarras e vocais comportados de Kaplan. Já ” “Sugarscube” mesmo seguindo a tendência noise é envolvente, talvez a faixa mais energética de um disco que é muito contido, noise rock de qualidade.

Falando em cover,  “My Little Corner of the World” da  Anita Bryant fecha o álbum, talvez a faixa mais tradicional do álbum cantada pela Hubley.

São 16 faixas que transmitem diversos sentimentos, mas o que o disco tem em unidade é a sensação ritualística, loops e grooves repetitivos com vocais suaves e sussurrados, não tem como não fazer a analogia com mantras.

Um disco com muita essência delicadeza e ao mesmo tempo com uma leve aspereza.

Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media


Assine nossa newsletter!

Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.


Últimas notícias

Publicidade