fbpx

Acústico MTV dos Titãs, odiado pela maioria. Por quê?

Estes dias estava arrumando o armário onde guardo os meus CDs e discos e, durante a organização, me deparo com o CD do aAcústico MTV dos Titãs. Parei com tudo, comecei a ouvi-lo na íntegra em alto e bom volume. Durante a audição me deparei novamente com o quanto ele foi muito bem gravado, a qualidade do som, a seleção das canções, as versões que diferem muito das originais, muitas ficaram legais como o Marvin, outras nem tanto como a Flores, outras surpreendentemente positivas como a Televisão que ganhou uma roupagem blues, com a participação belíssima da nossa saudosa e eterna Rita Lee, entre outras.

Ao mesmo tempo que estava ouvindo, me fez partir para um momento de reflexão. Como um álbum mais bem sucedido da banda, ao mesmo tempo, é o mais odiado pelos fãs, que não dão dimensão da importância que tem para a banda e o quanto foi determinante para a carreira dela?

A trajetória da banda explica por si só

Fazendo a lista das principais bandas do pop/rock brasileiro dos anos 80, os Titãs é uma das mais pesadas. Começaram de uma forma indecisa, sem saberem bem para qual caminho sonoro a seguir, como no primeiro álbum que era mais voltado para a New Wave e aos poucos vieram moldando o seu som, até chegarem no seu status quo no álbum Cabeça Dinossauro (1986), que foi digamos o primeiro divisor de águas na história da banda, atingindo grandes vendas e sucesso de crítica e de público, e, disso em diante vieram clássicos como Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas(1987), Õ Blésq Blom (1989), e Tudo ao Mesmo Tempo Agora (1991) particularmente não curto este álbum, me parece uma grande bagunça, banda cheia de ideias mas sem saberem executar bem, ali estava claro, o descontentamento de Arnaldo Antunes).

Anos 90 foram bem marcantes no aspecto de direcionamento de som, tornando ainda mais pesado como o ótimo Titanomaquia (1993) e o Hard Rock do Domingo (1995). Agora, o que nenhum fã esperava naquela época, é uma banda do nível como dos Titãs lançar um álbum de formato acústico e voltado para o pop. Certamente isso gerou alvoroços negativos, e até para a própria banda, que era reticiente em fazer o disco neste formato, como o Sérgio Brito, tecladista e voz solo, explica no canal do Thunderbird, segue o link do vídeo. Mas a gravadora Warner, convenceu os integrantes a gravar o projeto, que foi muito ousado,e, também foi uma atitude comercial e econômica, para o futuro da banda, os anos 90 foram fracos por não emplacarem um grande sucesso comercial como o dos anos 80.

Foi o primeiro acústico a ter convidados especiais, como o Fito Páez, Jimmy Cliff, Marisa Monte, Liminha e Marina Lima. E também foi o pioneiro em ter orquestra sinfônica integrando com a banda, o que gerou ainda mais rebuliço pelos fãs mais clássicos pela dicrepância sonora que a mudança causou. Entretanto, os arranjos suaves, partindo para uma sonoridade mais suscetível aos ouvidos da grande massa, foram responsáveis de tornar o álbum o mais vendido da banda, ampliando o seu público, o que nunca tinha acontecido até então, a banda ficou gigante, voltando ser novamente a maior banda do Brasil.

É desconfortável para uma grande banda tornar o som pesado para algo mais popular, até hoje essa postura incomoda muitos fãs, isso ficou claro por descontentamento com uma parte dos fãs no show de reunião da formação clássica, no ano passado, quando eles tocarem um grande set em formato acústico, foi o momento deste povo irem para o bar tomar uma cerveja.

Embora a parte pop da história, ao ouvirmos com atenção, é um disco muito bom, como citei anteriormente. Gosto bastante do acústico, me permitiu a ter ouvidos mais amplos para arranjos mais suaves, menos pesados, me fez a desvirtuar musicalmente de ficar preso somente ao lado pesado das guitarras, que músicas mais leves não são de qualidade, que é impossível banda de rock fazer som mais calmo, sem peso de guitarra, sabe. E também fez com que a banda ganhasse um grande público, e boa parte dele, seguiram a conhecer e curtir os sons da banda. Sem a atitude do acústico, talvez a banda não teria o público massivo como eles tem e a turnê de reunião mostrou claramente o quanto a banda é relevante dentro do cenário do rock nacional.

Se fazer uma seleção de discos favoritos da banda,maioria não irá citar o acústico, provavelmente eu mesmo não incluiria. Mas, não menosprezo o acústico dos caras, ele tem sim sua qualidade e importância.

Relembre o show que originou o acústico dos Titãs!

Você curte o acústico mtv dos Titãs? Comente aqui a sua opinião.

Autor

Uma resposta para “Acústico MTV dos Titãs, odiado pela maioria. Por quê?”

  1. Avatar de Julio Cesar Mauro

    Eu particularmente acho um dos melhores discos da banda.

    É um apanhado de sucessos tocados de forma totalmente diferente do que a banda estava acostumada a nos entregar? É, mas é um discaralhaço !

    quem reclama desse disco não sabe apreciar uma boa musica 😀

    Alias, vou até colocar aqui pra ouvir

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *