fbpx

Kerry King foi pego de surpresa ao saber do retorno do Slayer

Kerry King é um dos pioneiros do Thrash Metal. Quando montou em 1981 o Slayer, ao lado dos companheiros Tom Araya, Dave Lombardo e Jeff Hanneman, talvez não soubessem que ali estava nascendo uma das bandas mais matadora talvez a mais influente do gênero. King sempre declarou seu amor pela banda. Até que se sentiu traído em 2019, quando perguntado se haveria outro disco do Slayer e Tom Araya jogou um balde de água fria em seus planos.

Isso meio que abalou a amizade entre os dois. E em recente entrevista cedida à Revolver Magazine, ele comenta, entre outros assuntos, sobre o retorno inesperado do Slayer, anunciado em fevereiro de 2024. Apesar dos três shows agendados, aparentemente não há planos para uma turnê mais longa. Mesmo porque, Kerry King acabou de lançar From Hell I Rise, seu primeiro disco fora do Slayer e que vem recebendo muito boas críticas.

Musicalmente ou liricamente, From Hell I Rise não se desvia muito do modelo que o Slayer estabeleceu no passado – mas a raiva que percorre o álbum, e especialmente através de faixas como “Rage”, “Residue”, “Toxic” e “Two Fists”, tudo parece muito imediato.

Mas apesar da raiva fervendo em From Hell I Rise , o álbum irradia a vibração inconfundível de músicos se divertindo absolutamente. “Todos nós nos divertimos muito trabalhando juntos no disco”, exulta King. “Todo mundo estava entusiasmado e muito animado com o projeto, e acho que o produto final realmente diz isso; está disparando em todos os cilindros, com certeza. Lembro que fui até Paul Bostaph no terceiro dia no estúdio, e eu foi tipo, ‘Quer saber? Isso é divertido!‘”

Quando perguntado sobre a probabilidade de uma turnê de reunião durante nossa entrevista de janeiro, ele disse o seguinte: “Eu não bati a porta para tocar o Slayer. novamente, e posso garantir que o Slayer nunca fará outro disco.

Ele acrescenta: “Nós nos aposentamos? Com ​​certeza – nos aposentamos das turnês. Essas correntes nunca mais serão usadas. Vou fazer novas correntes? Sim, provavelmente.” Ele ri. “Porque não sei o que vestir sem eles.

Se você perguntar aos promotores, eles terão outra resposta”, responde ele. “Se você perguntar aos agentes de reservas, eles provavelmente terão uma terceira resposta. Mas para mim, isso surgiu do nada. Temos recebido ofertas nos últimos anos? Sim, recusamos ofertas todos os anos, provavelmente todos os meses de cada ano. Esses três festivais acontecem perto do aniversário de cinco anos da nossa última turnê, o que eu achei legal. Então, pensei que esse seria o momento certo para testar. os fãs novamente.

Levando-se em conta que King tem inúmeras datas de festivais neste verão, na mesma entrevista foi perguntado se ele achava que as datas iminentes do Slayer iriam ofuscar seu novo álbum e o trabalho sério que ele e sua banda estão investindo nele.

Bem, o tempo dirá, e minha resposta seria ‘espero que não‘”, diz ele. “O engraçado é que isso nunca me ocorreu até o dia em que veio o anúncio do Slayer, mas Demmel disse: ‘Cara, isso é real?’ E eu pensei, ‘São apenas alguns fins de semana e pronto.’ Claro, Paul sabia, mas eu não contei a Phil, não contei a Kyle e não contei a Mark – e disse aos caras: ‘Não há nenhum plano mestre aqui.’ Eu não queria que ninguém começasse a ficar com medo. Eu disse: ‘Este é um pequeno momento no tempo, e sim, Kerry King estará em turnê, você sabe, espero que no final do ano também. uma entidade e eu sou apenas uma pessoa.’ Mas, esperançosamente, continuaremos com o projeto solo.

Se o Slayer irá voltar em definitivo ou não, só o tempo dirá. Enquanto isso, Kerry King está à pleno vapor com From Hell I Rise e, na falta do Slayer ainda podemos sentir um gostinho desta raiva neste disco.

Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media


Assine nossa newsletter!

Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.


Últimas notícias

Publicidade