fbpx

Os 91 anos de Quincy Jones

Quincy Delight Jones Jr., nascido em 14 de março de 1933 em Chicago, Illinois, é uma figura monumental na história da música americana e internacional. Sua carreira abrange mais de sete décadas, durante as quais ele se destacou como produtor musical, compositor, arranjador, maestro, instrumentista e executivo de gravadora. Jones é uma força motriz por trás de alguns dos álbuns mais vendidos e aclamados pela crítica de todos os tempos, incluindo trabalhos de artistas como Michael Jackson, Frank Sinatra e Aretha Franklin. Seu legado inclui uma ampla gama de gêneros musicais, desde o jazz e o rhythm and blues até o pop, a música eletrônica e a música clássica.

Início da Vida e Educação

Quincy Jones cresceu em Chicago e em Bremerton, Washington, onde descobriu sua paixão pela música. Aprendeu a tocar trompete na adolescência e logo começou a arranjar músicas para bandas locais. Após receber uma bolsa de estudos, Jones estudou música na Schillinger House (hoje Berklee College of Music) em Boston, mas deixou a escola para tocar com a banda de Lionel Hampton.

Desde a infância, a música já se entranhava profundamente na vida de Quincy Jones. Aos seis anos, já encontrava maneiras de sair escondido de casa apenas para tocar piano na vizinhança. Com 14 anos, já imerso nos estudos de piano e trompete, teve o privilégio de conhecer Ray Charles, que aos 17 anos já era um prodígio musical reconhecido. Charles não apenas se tornou um grande amigo de Jones, mas também um mentor, abrindo-lhe caminhos no mundo da música.

Aos 15 anos, Jones já demonstrava seu talento no trompete, acompanhando a lendária Billie Holiday em uma de suas performances em Seattle, cidade natal de Jones. Com 17 anos, sua habilidade musical lhe rendeu uma bolsa de estudos na prestigiosa Berklee College of Music, um bastião do jazz americano. Contudo, sua estadia na Berklee foi breve, pois logo foi convocado para integrar a big band de Lionel Hampton como trompetista, pianista e arranjador.

Carreira Profissional

Jones ganhou notoriedade na década de 1950 como arranjador e trompetista, trabalhando com artistas de jazz como Dizzy Gillespie, Ray Charles e Lionel Hampton. No entanto, foi como produtor musical e arranjador que Quincy Jones deixou sua marca indelével na música. Ele produziu álbuns icônicos como “Off the Wall”, “Thriller” e “Bad” de Michael Jackson, que não apenas catapultaram Jackson ao estrelato global mas também revolucionaram a indústria da música com suas inovações em produção e marketing.

Além de seu trabalho com Michael Jackson, Jones produziu e arranjou para inúmeros outros artistas famosos, incluindo Frank Sinatra, com quem colaborou no álbum “Sinatra at the Sands”, e Aretha Franklin. Jones também é conhecido por sua trilha sonora inovadora para filmes e programas de televisão, como “In the Heat of the Night”, “The Color Purple” e “Roots”.

A carreira de Quincy Jones é pontilhada por sucessos monumentais que atravessam gêneros e décadas, refletindo sua versatilidade e genialidade. Ele não apenas moldou o som de inúmeras lendas da música, mas também deixou sua marca indelével em algumas das gravações mais icônicas e históricas da música moderna.

“Thriller” de Michael Jackson

Sem dúvida, um dos maiores triunfos de Quincy Jones é a produção do álbum “Thriller” de Michael Jackson, lançado em 1982. Este álbum não só se tornou o mais vendido de todos os tempos, com vendas estimadas em mais de 66 milhões de cópias em todo o mundo, mas também ganhou um recorde de oito Grammys em uma única noite. A colaboração entre Jones e Jackson gerou hits eternos como “Billie Jean”, “Beat It” e a faixa-título “Thriller”, que permanecem fundamentais na cultura pop.

“Off the Wall” de Michael Jackson

Antes de “Thriller”, Quincy Jones já havia colaborado com Michael Jackson no álbum “Off the Wall” de 1979. Este projeto marcou a primeira incursão de Jackson em uma carreira solo adulta, estabelecendo-o como uma estrela independente do Jackson 5. O álbum foi um sucesso estrondoso, destacando-se com faixas como “Don’t Stop ‘Til You Get Enough” e “Rock with You”, e solidificou a parceria Jones-Jackson como uma das mais frutíferas da história da música.

“We Are the World”

Quincy Jones também esteve por trás da produção de “We Are the World” em 1985, uma música beneficente escrita por Michael Jackson e Lionel Richie. Reunindo um supergrupo de artistas famosos sob o nome de USA for Africa, a faixa visava arrecadar fundos para aliviar a fome na África. “We Are the World” tornou-se um hino global de esperança e solidariedade, vendendo mais de 20 milhões de cópias e ganhando vários prêmios, incluindo três Grammys.

Trabalho com Frank Sinatra

Além de sua colaboração com Michael Jackson, Quincy Jones também é famoso por seu trabalho com Frank Sinatra. Notavelmente, ele arranjou e conduziu o álbum ao vivo “Sinatra at the Sands” (1966), que é amplamente considerado um dos melhores álbuns ao vivo de todos os tempos. A habilidade de Jones para mesclar jazz, pop e orquestração clássica criou um som inconfundível que revitalizou a carreira de Sinatra na década de 1960.

Contribuições para o Cinema e a Televisão

Jones também deixou sua marca em trilhas sonoras de filmes e programas de televisão, compondo a música para “The Color Purple” (1985), dirigido por Steven Spielberg, e produzindo a série de TV “The Fresh Prince of Bel-Air”. Essas contribuições ampliaram ainda mais seu impacto cultural e musical.

Quincy com Will Smith

Humanitarismo

Além de seus sucessos musicais, Quincy Jones é conhecido por seu compromisso com causas humanitárias, exemplificado pelo projeto “We Are the World”. Sua fundação, a Quincy Jones Listen Up Foundation, trabalha para conectar jovens desfavorecidos às artes, à tecnologia e à cultura, mostrando seu compromisso não apenas com a música, mas também com o melhoramento da sociedade.

Quincy Jones é um verdadeiro polímata cuja influência transcende a música. Seu legado é um testemunho de uma carreira que não conheceu fronteiras, caracterizada pela inovação constante, excelência artística e um profundo desejo de unir as pessoas através da música.

Legado

Quincy Jones não é apenas um dos produtores musicais mais influentes de todos os tempos; ele é um visionário que quebrou barreiras raciais e culturais na música e além. Sua habilidade para identificar e cultivar talentos, seu pioneirismo em técnicas de produção e sua incansável ética de trabalho tornaram possível algumas das músicas mais amadas e duradouras do século XX. Seu legado transcende a música, ele é uma figura inspiradora cuja vida e obra continuam a influenciar gerações de artistas e produtores.

Quer saber mais sobre o Quincy Jones? Assista o excelente documentário da Netflix : Quincy

Autor

  • Julio Mauro

    Júlio César Mauro é aquele típico nerd e pai de duas meninas, que tem seu jeito único – um pouco rabugento e com TDA. Não deu certo na música, mas encontrou seu caminho na TI, onde está há uns 26 anos. O cara é conhecido por não ter papas na língua e por um senso de humor bem afiado, que nem todo mundo entende. Já rolou até uma fase de co-apresentador no programa Gazeta Games na Rádio Gazeta de São Paulo, mostrando seu lado gamer. E, claro, a música? Continua sendo uma das suas grandes paixões.

    View all posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *