fbpx

Rob Halford declara que sente saudades de tocar ao vivo com Glenn Tipton

O vocalista do Judas Priest, Rob Halford, diz que sente terrivelmente a falta do guitarrista da banda, Glenn Tipton, que foi diagnosticado com Doença de Parkinson há 10 anos.

Tipton tem tocado em alguns shows no palco com o Judas durante a recentemente turnê européia “Metal Masters” junto com as bandas Saxon e Uriah Heep.

O guitarrista aparece para o bis tocandoos clássicos Metal Gods e Living After Midnight, o anúncio de sua saída das turnês da banda ocorreu em 2018 quando a banda se preparava para as gigs do excelente álbum Firepower, sendo substituído por Andy Sneap que produziu os dois trabalhos mais recentes da banda Firepower e Invincible Shield,

Em recente entrevista para a revista Classic Rock, Halford disse: “Foi muito, muito difícil para mim quando saímos pela primeira vez sem Glenn. Deus abençoe Andy Sneap – ele fez um trabalho brilhante e sem desrespeito a ele – mas eu sinto muita falta de Glenn quando tocamos ao vivo. Então, quando ele sai para se divertir, é tipo: ‘Meu Deus!’ É tão bom.”

Richie Faulkner que substituiu o guitarrista fundador K.K. Downing também elogiou: “É absolutamente vital que Glenn faça parte da equipe de compositores”, disse Faulkner. “Rob, Glenn e eu, entramos em uma sala com ideias e as lançamos”. Qualquer que seja o desafio que Glenn tenha, é com isso que ele lida. Nós ajudamos um ao outro assim. “Glenn é como um irmão mais velho”, ele continua “Quando entrei, ele me colocou sob sua proteção como o outro guitarrista. Quando estávamos na estrada, saíamos juntos. Então, quando ele saiu da turnê, eu senti como se meu irmão não estivesse lá. Mas eu sei o que é ter algo ameaçando sua futura carreira ou sua habilidade de tocar guitarra.”

Glenn falou recentemente à revista Total Guitar sobre suas contribuições para o último álbum do Judas Pries, Invincible Shield. Ele disse: “Eu toquei o que eu poderia e estou muito orgulhoso de todo o álbum. Richie ajudou muito. Acho que seu atributo mais forte é a capacidade de se adaptar a diferentes estilos, mantendo ao mesmo tempo um caráter muito forte. O Priest precisa de um guitarrista que possa mudar do metal puro para faixas mais melódicas.” Glenn continuou: “Obviamente, a desvantagem para mim agora é o Parkinson, e tive que passar muito trabalho para os ombros dele. Eu continuo me esforçando porque acredito em “não se render”. Esta doença não vai me vencer, e continuarei escrevendo e tocando enquanto puder.”

Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media


Assine nossa newsletter!

Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.


Últimas notícias

Publicidade