fbpx

PFM: Emotional Tattoos

Emotional Tattoos, é o 19º álbum de estúdio da lendária banda de Rock Progressivo Italiano e foi lançado como um álbum duplo, e não, o segundo disco não é instrumental. Ao invés disso, a PFM gravou o álbum com letras em inglês no primeiro disco e letras em italiano no segundo.

As faixas em ambos os discos são idênticas, explorando temas sobre a condição atual do planeta e da humanidade. Essa escolha resulta em uma diferença notável nas letras. Na versão italiana, a essência poética e o estilo original das letras são mantidos, enquanto na versão em inglês as letras são adaptadas para o público de língua inglesa, o que altera um pouco o significado e as nuances, já que nem sempre é possível captar todos os detalhes da língua original na tradução.

Na metade dos anos 1970, a banda alcançou um sucesso comercial expressivo ao adotar uma estratégia nova, lançando álbuns principalmente em inglês. Neste período, a PFM criou uma adaptação do seu segundo álbum, Per un amico, para o público de língua inglesa. Esta adaptação, chamada Photos of Ghosts, não foi apenas uma regravação, mas sim uma versão “reimaginada” do álbum original, com algumas faixas reescritas, rearranjadas ou regravadas para se adequarem ao novo público. Essa mudança ocorreu quando a banda assinou com a gravadora Manticore da ELP.

Então, Emotional Tattoos reacende esse espírito em sua abordagem geral, o que é bom, porque se você é um purista do RPI, as letras em italiano estão lá.

Emotional Tattoos é o primeiro lançamento da banda sob a alçada da InsideOut Music, uma gravadora reconhecida pela sua expertise em distribuir música progressiva. Este álbum combina de maneira única elementos constantes e variáveis, resultando em várias qualidades que merecem ser apreciadas.

O álbum é tecnicamente brilhante, as guitarras incisivas de Marco Sfogli, o baixo vigoroso de Patrick Djivas e a bateria pulsante de Di Cioccio são pontos altos, complementados pelos vocais confiantes de Di Cioccio. Contudo, o álbum se afasta do tradicional prog-rock em favor de melodias rock de ritmo médio, salpicadas ocasionalmente por solos progressivos breves.

Ainda que Emotional Tattoos seja um álbum bem feito, ele não alcança totalmente as altas expectativas dos fãs, especialmente quando comparado aos renomados “Stati di Immaginazione” de 2006 e “AD 2010: La Buona Novella” de 2010, que exibiam a grandiosidade e a complexidade típicas do rock progressivo.

Analisando individualmente as faixas, “Il Regno” começa de um jeito contemplativo e evolui para uma composição cheia de vida, com teclados imponentes e guitarras fortes, tudo isso acentuado pelo vocal inconfundível de Franz. Em “Oniro”, o baixo profundo de Patrick, o violino sofisticado de Lucio Fabbri e os solos de teclado vibrantes de Alessandro Scaglione destacam-se, captando a verdadeira essência da PFM. “La lezione”, por sua vez, adota um tom mais escuro e profundo, com percussão intensa e reviravoltas surpreendentes nas guitarras.

Mayday” é uma faixa melancólica, enquanto “La danza degli specchi” exibe uma melhora expressiva, combinando mudanças de ritmo e o charme do PFM de outrora. “Il cielo che c’è” apresenta uma balada cativante, e “Quartiere generale” é um pop-rock envolvente com motivos de violino marcantes. 

O ápice do álbum é “Freedom Square”, um instrumental folk repleto de guitarras acústicas alegres, violinos dinâmicos e teclados grandiosos, uma pena que é uma das faixas mais curtas do álbum. “Dalla Terra alla Luna” mistura uma melodia agradável com um som mais robusto, e “Le Cose Belle” encerra o álbum como uma balada.

Mas é um bom álbum? A avaliação de Emotional Tattoos como um bom álbum pode variar, dependendo do ponto de comparação utilizado. Se compararmos com os renomados álbuns clássicos da PFM, fica evidente que Emotional Tattoos não cumpre as mesmas expectativas. Entretanto, não se pode ignorar que este disco representa uma evolução no estilo da banda. Isso torna as comparações diretas com seus trabalhos anteriores um pouco injustas.

A verdadeira questão, então, é: o que realmente define a qualidade de um álbum além das expectativas que carregamos? Talvez a melhor forma de avaliar Emotional Tattoos seja exatamente deixando de lado quaisquer expectativas preconcebidas, então recomendo mergulhar na experiência deste álbum sem as expectativas habituais, dando especial atenção à sua versão em italiano.

Separei o disco em duas playlists, uma em Ingles e outra em italiano, faça a sua escolha e boa audição

Autor

  • Julio Mauro

    Júlio César Mauro é aquele típico nerd e pai de duas meninas, que tem seu jeito único – um pouco rabugento e com TDA. Não deu certo na música, mas encontrou seu caminho na TI, onde está há uns 26 anos. O cara é conhecido por não ter papas na língua e por um senso de humor bem afiado, que nem todo mundo entende. Já rolou até uma fase de co-apresentador no programa Gazeta Games na Rádio Gazeta de São Paulo, mostrando seu lado gamer. E, claro, a música? Continua sendo uma das suas grandes paixões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social Media


Assine nossa newsletter!

Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.


Últimas notícias

Publicidade